Você já ouviu falar em ensino STEM? Confira agora essa novidade

65899-voce-ja-ouviu-falar-em-ensino-stem-confira-agora-essa-novidade

A sociedade evolui. São diversas as novas ferramentas que facilitam a vida e reformulam conceitos, e na trilha dessa evolução devem estar as formas de ensino. Têm sido muito promissoras algumas experiências que visam a inserção de tecnologia como recurso para a educação.

Além disso, filosofias têm buscado reformular os modelos vigentes para aproveitar a vontade da criança de explorar, de querer entender o funcionamento das coisas e estender e beneficiar-se da fase dos porquês. O  STEM é uma dessas novas visões de ensino.

O que é STEM

STEM é o acrônimo em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática. O que o STEM propõe é que essas disciplinas sejam ensinadas em conjunto, com o envolvimento dos alunos em todas as fases do aprendizado. A ideia é abandonar o ensino ortodoxo engessado, sem integração e desmotivador.

De acordo com essa política, o estudo é multidisciplinar, uma vez que as matérias são interdependentes.

Modelo de ensino adotado em diversos países

Muitos países, principalmente os que possuem tradição em darem ênfase ao ensino tecnológico, têm adotado e desenvolvido a filosofia STEM. Estados Unidos e Japão sempre investiram na formação de profissionais com esse perfil. Os Estados Unidos, por exemplo, estão trabalhando em programas que insiram o STEM na grade curricular desde o ensino fundamental.

O Brasil ainda é carente de profissionais preparados para atuar sob essa filosofia nas fases iniciais de educação. Mas já existem empresas especializadas na difusão e implantação dessa política nos grandes centros do país, bem como cursos de graduação.

Mitos e verdades sobre o STEM

Como algo novo, a filosofia STEM gera especulações. Diz-se que ela faz uma “falsa distinção” para destacar mais as suas disciplinas. Na verdade, a visão STEM indica que essas matérias estão sendo abordadas sob um novo enfoque, sendo estudadas em conjunto.

Também já foi dito que, no STEM, não existe pensamento interdisciplinar, que ele “codifica a atomização”. O que ocorre é o oposto disso: pelo fato de reunir as disciplinas, essa política cria um corpo, um campo de estudo maior.

Há quem pense que é necessário ser um prodígio em Matemática ou Ciências para conseguir um diploma STEM. Contudo, já existem alguns cursos baseados nessa filosofia e também especializações. Basta que o interessado escolha um curso em que sejam exploradas suas aptidões das áreas de exatas e dedicar-se.

Para quem considera a área de STEM um ramo de opções limitadas, vale esclarecer que mesmo que a graduação nessa área seja específica, pode-se ampliar os caminhos profissionais por meio de pós-graduações e estágios.

STEM: avanço no modelo de ensino

Os benefícios oferecidos pelo STEM são inúmeros. Ele traz interdisciplinaridade ao ensino de ciências e amplia o interesse dos alunos, que por sua vez passam a protagonizar a aula e deixam de ser meros expectadores.

Com o mercado de trabalho mudando, passa a ser crucial a capacidade de adaptação do indivíduo. Hoje, mais importante que saber é conseguir lidar com o conhecimento adquirido. Promover a formação técnica é uma necessidade. O STEM auxilia a educação em todos esses aspectos.

Uma característica da visão STEM é propiciar o desenvolvimento de aptidões técnicas, sociais e emocionais. Se você é um professor empreendedor ou um interessado nas tendências de ensino que seus filhos podem inserir-se, vai querer aprofundar-se nesse assunto.

E então, gostou de conhecer o STEM? Vale à pena aprofundar-se ainda mais? O que achou deste post? Deixe seu comentário!

O que é STEM? Como esse método pode influenciar o ensino no futuro?

o-que-e-stem-como-esse-metodo-pode-influenciar-o-ensino-no-futuro26620

Em busca de melhorias no ensino na área de exatas, as escolas vêm aplicando o uma nova forma de educar. E você, já sabe o que é STEM? Esse método permite que os alunos se interessem mais por algumas disciplinas da grade curricular, mais especificamente as da área de ciências exatas. Fique com a gente neste post e vamos te apresentar o STEM e mostrar como esse método pode influenciar o ensino e a vida das nossas crianças.

O que é STEM?

STEM é uma sigla em inglês que designa justamente as disciplinas que mais se beneficiam desse método: Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Basicamente, o que o STEM sugere é que essas disciplinas sejam ensinadas juntas e envolvendo os alunos em cada fase do aprendizado. Interdisciplinaridade e aplicação prática!

Como ele funciona?

No STEM os professores aplicam metodologias e apresentam problemas que devem ser resolvidos. Os alunos planejam e desenvolvem projetos. Se acontecer de algo dar errado, uma postura mais positiva é adotada: os alunos são motivados a descobrir onde está o erro, em vez de receberem uma avaliação negativa, o que estimula a perseverança e a autocrítica.

Para que ele serve?

O STEM serve para aumentar o entendimento dos alunos de temas mais complexos, como engenharia e matemática. Feiras de robótica, projetos de ciências e outras atividades educativas da área de exatas são etapas do STEM que os alunos cumprem com entusiasmo.

Quais os seus benefícios?

Alguns benefícios do STEM: estimular nos alunos o gosto pelas disciplinas de ciências exatas e também o gosto por novas tecnologias, aumentar a capacidade de concentração, observação, criatividade e autoanálise. Ao participar de projetos eles podem, ainda, aprender o trabalho em equipe, autocontrole e empatia. Tudo isso com perseverança e uma visão positiva dos próprios erros!

Qual a sua importância para o ensino das ciências exatas?

O STEM é de extrema importância, pois contribui para tirar o ensino daquela perspectiva tradicional em que o professor é um mero transmissor de conteúdo. Com o STEM, as disciplinas da área de exatas deixam de ser vistas como as vilãs do ensino fundamental ou médio. O aprendizado fica mais leve e eficaz, atingindo o tão sonhado engajamento nas disciplinas da área.

Como é usado atualmente?

No ensino fundamental, a prática do STEM é feita de maneira mais tranquila e natural. Aproveita-se do método para engajar os alunos e utiliza-se as inteligências múltiplas existentes em uma mesma sala de aula. Os alunos do ensino fundamental são estimulados com projetos mais simples e, depois de um tempo, o nível de dificuldade aumenta gradativamente.

Já no ensino médio, há atividades mais complexas e criativas. Como o método já faz parte do cotidiano, os professores propõem projetos mais desafiadores e os alunos devem responder à altura. Sua abordagem prática, aliás é de grande valia para os alunos do último ano, no momento em que vão decidir qual carreira seguir.

O STEM, a cada dia, revoluciona o ensino de ciências exatas e conquista novos adeptos, sejam alunos ou professores. Um método atraente, inovador, engajador, interdisciplinar e baseado em vivências!

Conte para seus amigos o que é STEM e tudo que ele pode trazer para a educação compartilhando esse post em suas redes sociais!

Entenda o que é o método STEM e como ele pode ajudar na sua escola.

Two little students doing biochemistry research at the classroom

STEM é a sigla para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (em inglês). Ela é atribuída a um método de ensino que está se tornando mundialmente conhecido. Esse método tem por objetivo, unir as quatro áreas, que compõe a sigla, em uma abordagem interdisciplinar e prática.

Segundo o site STEMconnector.org, esse método é promissor e de grande relevância, já que o mercado de trabalho atual exige, cada vez mais, habilidades que envolvam essas quatro áreas. Embora estejamos falando em mercado de trabalho e isso soe como aplicável apenas a alunos dos anos finais da educação básica ou do ensino superior, o método funciona perfeitamente nas turmas de anos iniciais. Cada estágio, porém, tem sua especificidade.

O método pode ser aplicado a todas as séries?

Sim. O método se aplica a todas elas, pois ele é propulsor do desenvolvimento cognitivo e socioemocional. No entanto, cada etapa de ensino possui suas próprias demandas, uma vez que os alunos estão em fases diferentes de desenvolvimento. Ele não está descolado da grade curricular exigida pela MEC, pelo contrário, ele favorece o ensino de conteúdos como ciências e matemática, que são transversais em todas as disciplinas e bases para todas as séries.

Não é uma metodologia séria demais para ser aplicada às crianças?

Não. O ideal é que o método seja aplicado de forma interativa e atrativa. Um dos propósitos do STEM é tirar a rigidez dos métodos pedagógicos convencionais, espalhando o aprendizado, excedendo as paredes da sala de aula. E mais, por essa metodologia o aluno é incentivado a descompartimentar seu aprendizado, interligando as disciplinas e aplicando-as a projetos.

Esse método direcionará meus alunos apenas para área de exatas?

Como dissemos, ele estimula o desenvolvimento cognitivo como um todo (e socioemocional também). O método não é direcionador ou favorecedor de uma área de conhecimento. Ele é, na verdade, a base para uma pedagogia de um desenvolvimento integral.

O estudante é incentivado a resolver problemas reais, por meio de atividades ligadas diretamente à: ciências, tecnologia, engenharia e matemática. Nos projetos desenvolvidos os alunos são estimulados a planejar, executar e criar soluções para as falhas. Esses estímulos não são privilégio do campo de conhecimento das ciências exatas, são aplicáveis a qualquer área e carreira e também na vida social.

O método tem preocupação em disciplinar as crianças?

Sim. No entanto, ele possui algumas diferenças dos métodos tradicionais. O foco do STEM não é o castigo, mas fazer com que o estudante reconheça seus erros e tente mudá-los. Utilizando-os, assim, como aprendizado e amadurecimento.

O STEM propõe que o estudante aprenda sozinho?

Não. Ele promove o mapeamento de pontos fortes e fracos de cada estudante, de forma positiva, sem qualquer sentido de disputa. Isto é, não é uma promoção de autodidatismo, mas de personalização do ensino. O que favorece a junção de grupos semelhantes, não melhores ou piores, mas semelhantes.

É perfeitamente plausível, se pensarmos que a única certeza de semelhança que temos entre os estudantes, é a idade. O restante pode sofrer inúmeras variações.

Escolher métodos de ensino adequados é uma preocupação de todos os gestores educacionais. Se esse é o seu caso tenha em mente que a escolha do STEM proporciona o desenvolvimento global de seus estudantes, fomenta a interação entre o corpo docente e leva o aprendizado, disseminado por sua instituição, para fora dos muros da escola. O STEM é um ensino para a vida.

Gostou do método e quer saber mais sobre o ensino da ciência de forma divertida, então clique aqui.