4 franquias que você pode investir no setor de educação

64294-x-franquias-que-voce-pode-investir-no-setor-de-educacao

Você tem interesse pelo setor de educação? Gostaria de investir em modernas práticas didáticas e ainda ganhar um dinheiro com isso? Então você deveria levar em consideração as oportunidades de negócio que as franquias podem oferecer.

Esse segmento cresce a cada dia no Brasil. Segundo dados mais recentes, o ramo de franquia de educação no Brasil faturou quase 140 bilhões de reais somente em 2015. Além disso, o setor já criou mais 90 mil postos de trabalho em todo o país.

Ficou interessado? Conheça, neste artigo, 4 franquias no setor de educação para você investir. Elas trabalham com metodologias inovadoras e atraentes capazes de conquistar muitos alunos.

1. Tutores

Essa franquia brasileira já possui mais de 1.200 franqueados e cerca de 500.000 alunos no Brasil e no exterior. A sua especialidade é tutoria, tanto para alunos da educação infantil quanto para o ensino superior. Além disso, oferece serviços para aqueles que querem aprender informática, artes e atividades culturais.

Para continuar oferecendo serviços de qualidade, a Tutores realiza visitas em algumas instituições norte-americanas de educação complementar para crianças com dificuldade de aprendizagem.

Os modelos de negócio são de acordo com o tamanho da cidade. Por exemplo, o investimento inicial para uma cidade de até 50 mil habitantes pode partir de R$ 20.000. O retorno do investimento vem até 12 meses depois de aplicado o negócio e o faturamento médio mensal pode chegar a R$ 25.200.

2. Educatec Brasil

A Educatec Brasil é especializada em cursos profissionalizantes. A franquia oferece diversas opções de curso em áreas distintas. Administração, estética e idiomas são apenas alguns dos 70 cursos que podem ser encontrados nessa franquia.

O investimento total varia de R$ 23.000 a R$ 75.000. A taxa de franquia vai de R$ 5.000 a R$ 25.000, o que retorna como faturamento médio por mês o valor de R$ 40.000.

Os resultados podem ser obtidos entre 10 a 18 meses. As formas de negócio podem ser aplicadas nas unidades de acordo com a preferência do franqueado e do porte da cidade.

3. On Byte

Desde o início de 1992, a On Byte tem crescido na oferta de cursos profissionalizantes. Com tradição no ramo de informática, essa franquia já se firmou na área e também oferece cursos de inglês.

Quem fizer parte desse negócio vai pode encontrar uma estrutura de recursos audiovisuais e apostilas criteriosamente pensadas para o desenvolvimento do aluno.

Todo o ano, a rede On Byte apresenta novos cursos e oferece suporte ao franqueado, que vai desde administração dos negócios até a motivação da equipe de vendas.

Para ser um franqueado da On Byte será necessário investir entre R$ 32.000 a R$ 165.000. A taxa inicial de franquia vai de R$ 15.000 a R$ 35.000. O faturamento médio mensal pode chegar a R$ 20.000, com retorno de 12 a 24 meses.

4. Mad Science

Implantada no Brasil desde 2008, essa franquia educacional canadense atua em cerca de 30 países e é considerada referência internacional de entretenimento infantil. A Mad Science Global tem foco nas áreas STEM (Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática) para desenvolver seus produtos.

Com uma abordagem que pretende divertir e ao mesmo tempo levar conhecimento para as crianças, a Mad Science atua em diversos segmentos. A sua metodologia para ser aplicada em festas de aniversário, cursos extracurriculares, feiras escolares e eventos especiais, por exemplo. Tudo isso apresentado de maneira inovadora e interativa.

Essas são algumas das franquias do setor de educação que você pode escolher para investir. Antes de assinar o contrato, conheça atentamente as condições do negócio. Prefira aqueles que combinam melhor com o seu perfil e a sua capacidade de investimento. Afinal, o sucesso de ser um excelente franqueado depende de você.

Gostou da ideia de ser um franqueado? Então entre em contato com uma empresa capaz de oferecer serviços de educação divertida e interativa!

4 ferramentas de gestão de negócios para aderir em sua franquia

49982-x-ferramentas-de-gestao-de-negocios-para-aderir-em-sua-franquia

Todos os empreendedores sabem que a administração de um negócio e o gerenciamento de contas, estoque e todos os funcionários não são tarefas simples. Ter uma empresa é um grande desafio que obriga os empreendedores a darem sempre o seu melhor e a constantemente pesquisarem novas ferramentas e métodos para facilitar a gestão.

A maioria dos empresários fica sempre antenada ao mercado em busca de novidades tecnológicas e das melhores práticas de gestão, que possibilitem a redução de custos, o aperfeiçoamento do negócio e o aumento dos lucros.

O uso de softwares e ferramentas é fundamental para quem almeja obter esses resultados. Para ajudá-lo a ganhar destaque no mercado, separamos, neste post, 4 ferramentas de gestão de negócios que você não pode deixar de conhecer. Confira!

1. Modelo de negócio

Um modelo de negócio nada mais é do que o desenvolvimento de planos relacionados à empresa e a especificação dos rendimentos e benefícios que se deseja alcançar. Ao utilizar essa ferramenta, são estabelecidos: como serão feitas as promoções, as regras a serem seguidas para atrair clientes, as estratégias de marketing e venda e todas as outras configurações que influenciam nos recursos e no futuro da empresa.

Depois de realizado o plano de negócio, é possível projetar o futuro da empresa no curto, médio e longo prazo, mas é preciso adequá-la de forma que tudo o que foi apresentado no modelo seja seguido.

2. Planejamento estratégico

O planejamento é um dos passos mais importantes para que qualquer nova empresa ou franquia consiga conquistar espaço e se destacar no mercado. Esse processo gerencial busca formular os objetivos e determinar quais serão os planos de ação necessários para que cada um deles seja alcançado. Para isso, leva em consideração tanto as condições internas do negócio, quanto os fatores externos.

É importante saber que essa ferramenta é uma das grandes responsáveis pela definição da missão, da visão e dos valores do negócio.

Algumas das ações para a elaboração de um planejamento estratégico eficiente são:

  • Definição de todas as metas e objetivos a serem alcançados.
  • Realização de pesquisas de mercado.
  • Levantamento de possíveis clientes.
  • Determinação de estratégias para conversão dos leads.
  • Uso de ferramentas para a melhoria contínua do negócio — como o ciclo PDCA (Plan-Do-Check-Act).

3. Indicadores

Com todos os objetivos da sua franquia traçados, chegou o momento de medir e acompanhar o desempenho dos processos e de cada uma das tarefas para verificar se as metas estão sendo alcançadas. Para isso, a ferramenta mais aconselhada é o KPI (Key Performance Indicator ou Indicador-chave de Performance).

Um bom indicador é aquele que permite calcular de forma eficaz os resultados e proporcionar a introdução de melhorias na empresa. Um bom KPI deve conter as seguintes características:

  • Disponibilidade de ser mensurado, ou seja, ser facilmente medido.
  • Direcionar escolhas importantes e estratégias.
  • Possuir periodicidade de medição.

4. Software de gestão

O uso de um software de gestão é fundamental para as empresas que desejam alcançar bons resultados e os lucros esperados. Um programa específico é a melhor forma de controlar o caixa e o estoque da empresa, gerenciar funcionários, medir a satisfação dos clientes e acompanhar o desempenho do negócio.

Essa ferramenta reduz significativamente as chances de erros em contas e falta de informações que possam resultar em problemas futuros. É aconselhável que todas as empresas possuam um software de gestão, que contribuirá para o controle mais eficaz do empreendimento e a entrega de serviços e atendimento de boa qualidade ao cliente.

Agora que você conhece 4 ferramentas de gestão de negócios que não podem deixar de serem utilizadas na sua franquia, conte para nós: sua empresa já utiliza alguma delas? Deixe um comentário e compartilhe conosco os resultados alcançados!

Quer abrir uma franquia? Veja 5 dicas para levar em consideração

48919-quer-abrir-uma-franquia-veja-5-dicas-para-levar-em-consideracao

Não é novidade que o mercado das franquias está em alta. O modelo traz a vantagem de entregar ao franqueado uma estrutura pronta e uma marca já consolidada no mercado, tendo, portanto, um baixo risco. Diante disso, é cada vez maior o número de investidores que buscam abrir uma franquia.

Mas é preciso cautela e planejamento ao escolher em que tipo de franquia apostar. Não basta apenas analisar o custo inicial e o faturamento médio, pois vários aspectos devem ser cuidadosamente observados antes de se tomar a decisão.

Se você quer investir no setor e não sabe o que fazer, continue a leitura deste post! Separamos dicas que vão ajudar a fazer a escolha certa!

1. Pesquise bastante antes de abrir uma franquia

O novo empreendedor deve realizar uma boa pesquisa no mercado para analisar os tipos de franquias que existem à disposição. Também é necessário ter afinidade com a área escolhida, ainda que não precise de formação específica no ramo.

Além disso, deve observar quais são os seus concorrentes, quais deles já atuam em sua área de abrangência e como o serviço é visto pelo consumidor.

2. Analise bem a COF (Circular de Oferta de Franquia)

A COF é um documento formulado pelo franqueador que é entregue ao futuro franqueado, contendo informações importantes e, por isso, deve ser analisado com bastante atenção.

Nesse documento, você encontrará os custos de investimentos, além de informações comerciais e jurídicas. Sendo assim, orienta-se que seja analisado por um advogado antes de se realizar a transação.

3. Escolha um ponto bem localizado

A escolha do local onde sua franquia vai se instalar é muito importante e poderá ser crucial para o sucesso de seu empreendimento.

Desse modo, pesquise locais acessíveis e dentro dos padrões e área exigidos pela franqueador. Analise os valores e tente negociá-los com o locatário, de forma que se adeque ao objetivo e traga um bom retorno financeiro.

4. Estude o funcionamento da franquia

Ao definir em qual franquia investir, você precisará observar se sua presença é obrigatória no dia a dia da empresa. Caso seja, avalie se você tem tempo e disponibilidade para cuidar de tudo sozinho ou se é necessário contratar um gerente ou um gestor para auxiliar.

Além disso, estude a necessidade de se realizar treinamento com a equipe, pois isso será um dos grandes responsáveis pelo sucesso de seu empreendimento.

5. Faça um plano de negócios

O planejamento é de suma importância para o bom funcionamento da empresa. Monte um plano de negócios com todos os custos fixos para o funcionamento da franquia, como aluguéis, funcionários, materiais, marketing, encargos tributários e trabalhistas, estoque e veja qual deverá ser o seu faturamento mensal para cobrir tais gastos.

Peça, então, ao franqueador que analise o seu plano de negócio a fim de observar se ele contém todos os aspectos necessários.

Abrir uma franquia em tempos de crise é um investimento seguro e promissor, o que explica o crescimento do segmento nos últimos anos. Assim, por meio dos conhecimentos adquiridos, você terá mais facilidade de decidir onde deve aplicar o seu dinheiro, com grande probabilidade de sucesso.

Gostou das dicas que separamos para você? Que tal nos seguir a página no Facebook? Estamos sempre produzindo conteúdos interessantes e úteis para nossos seguidores!

 

Na contramão da crise, o setor de franquias não para de crescer!

47924-na-contramao-da-crise-o-setor-de-franquias-nao-para-de-crescer

Mesmo enfrentando a crise, o setor de franquias vem apresentando um cenário bastante otimista. Em 10 anos, no período de 2001 a 2011, o número de redes subiu de 600 para 2.031. Nesse mesmo tempo, o faturamento cresceu de R$ 25 bilhões para R$ 89 bi.

O franchising vem experimentando um crescimento contínuo há mais de uma década e, de acordo com os últimos números da Associação Brasileira de Franchising, o cenário vai continuar otimista por muitos anos.

O setor de franquias registrou crescimento nominal de 7,6% no primeiro trimestre de 2016, comparando com o mesmo período do ano anterior. Diante de tantos números positivos, fica claro que investir em franquias tem se tornando uma alternativa segura e lucrativa.

Porém, para entender esse cenário, é necessário analisar quais são os principais fatores que fazem o setor crescer tanto, mesmo atravessando um momento econômico desfavorável.

O desemprego e o crescimento do setor de franquias

Um dos principais fatores desse crescimento é a segurança que o franchising dá em relação a empresas não franqueadas. Contar com o suporte da rede e trabalhar com um modelo de negócios estruturado reduz os riscos de operação.

Muitos dos novos empreendedores são pessoas que acabaram de sair dos seus empregos. E com o crescimento do número de redes e a grande variedade de marcas disponíveis no franchising, o franqueado encontra opções interessantes para investir, muitas vezes, na sua área de atuação.

Como as unidades franqueadas possuem uma taxa de mortalidade muito menor do que a das empresas criadas do zero, a tendência é que as pessoas escolham o investimento mais seguro para suas realidades.

Nos três primeiros meses de 2016, mais de 100 marcas ingressaram no setor de franquias, totalizando em 3.181 mil redes de franquias operando no país. Com tantas alternativas, as chances de o franqueado encontrar um negócio alinhado ao seu perfil são bem grandes!

A expectativa do setor para 2017

Para quem está pensando que há uma bolha prestes a estourar, está enganado. De acordo com Marcelo Nakawaga, professor de empreendedorismo na Insper, esse risco não existe pois existem muitas lacunas no setor de varejo e, principalmente, no de prestação de serviços.

Para Cláudia Bittencourt, diretora do Grupo Bittencourt, a chance de uma bolha é inexistente pois, atualmente, as franqueadoras estão exigindo cada vez mais recursos dos franqueados.

Um dos planos da ABF para acelerar o crescimento do setor é incentivar as redes a abrirem pontos fora dos grandes centros comerciais, o que reduzirá consideravelmente os custos para abrir uma unidade.

As redes estão trabalhando na redução de custos e em novos formatos, como as franquias home office, mais baratas para o franqueado. Dessa maneira, o franqueado encontrará opções de investimento mais econômicas na hora de abrir uma franquia.

Esses números e fatores são os principais contribuidores para o crescimento do setor de franquias no Brasil. Com um modelo de negócio testado e aprovado, uma marca forte e um público-alvo definido, o papel do franqueado será o de gerenciar sua unidade, administrando seu empreendimento da melhor maneira.

Quer aumentar as chances de sucesso da sua franquia? Conheça as 5 franquias mais inovadoras do mercado!

Saiba como montar um plano de negócios antes de empreender

36840-saiba-como-montar-um-plano-de-negocios-antes-de-empreender

Se você pretende começar seu próprio empreendimento, a primeira coisa precisa fazer é aprender como montar um plano de negócios. Este documento é uma ferramenta importantíssima que te ajudará a definir suas metas, traçar estratégias e guiar os rumos da sua empresa.

Se você já tem um empreendimento e pretende expandi-lo, elaborar um plano de negócios também é importante, pois ele permite que você avalie o que tem dado certo ou não nas suas estratégias e, se necessário, mudar os seus métodos.

Muitos micro e pequenos empresários acreditam que fazer este planejamento gera gastos e é muito trabalhoso, mas não é bem assim. Atualmente, há softwares que podem ajudar muito nesta tarefa e quanto aos gastos, uma das principais funções do plano de negócios é reduzir riscos de investimentos e evitar que o empreendedor perca dinheiro. Por isso, confira 4 dicas que elaboramos para você!

Pense sobre a viabilidade do empreendimento

A primeira coisa é pensar se a sua ideia pode virar um bom empreendimento. Para isso, é necessário pesquisar o segmento, a viabilidade do projeto, o quanto será necessário investir e se este investimento é realizável. Procure ferramentas que podem te ajudar nesta função e converse com pessoas que já têm alguma experiência na área.

Estude como montar um plano de negócios

Não pense que montar um plano de negócios e abrir uma empresa te livra dos livros, muito pelo contrário! Montar um negócio exige muito conhecimento e, quanto mais você estiver por dentro da área em que pretende empreender, menos riscos você corre de fazer escolhas erradas. Por isso, inspire-se em bons livros e procure conhecer a literatura especializada na sua área.

Outra coisa muito importante é usar a tecnologia a seu favor. Há alguns bons softwares que podem te ajudar a monta seu plano de negócios, como o SPPlan, do Sebrae São Paulo e o Como Elaborar Plano de Negocio, do Sebrae MG, ambos gratuitos. Há alguns outros softwares pagos que também são muito bons, mas exigem algum conhecimento na área.

Informe-se

Conhecer o mercado em que sua empresa estará inserida é fundamental. Informe-se sobre o perfil da sua clientela, sobre o crescimento ou retração do seu segmento dentro do mercado, sobre seus concorrentes, seus fornecedores, estratégias de marketing mais utilizadas, rentabilidade possível, seu ponto de venda, possíveis parceiros, entre outros.

Muitas dessas informações você consegue com pesquisas pela internet, mas é muito importante fazer uma pesquisa de campo, conversar com empresários do ramo, entre outros.

Mantenha-se atualizado

Todo empreendedor deve saber o quanto o mercado é oscilante, portanto, é muito importante manter seu plano flexível. Além do mais, à medida que seu negócio for crescendo, será necessário adequar o tamanho da sua empresa ao dos seus objetivos.

As estratégias devem acompanhar as mudanças do seu empreendimento e do segmento ao qual ele pertence. Portanto, ao elaborar um plano de negócios é essencial que você tenha em mente que ele deverá ser revisado periodicamente e adaptado sempre que necessário.

É importante ressaltar ainda que não existe uma regra única para a elaboração deste documento. O mais importante é analisar o mercado com critério, avaliar suas ideias e planejar as atividades a serem desenvolvidas, desde a locação do espaço físico ou virtual à contratação de funcionários. Depois, avalie as finanças, investimentos e possibilidades de lucro. Não se esqueça de reestruturar seu plano sempre que necessário.

Gostou das dicas sobre como montar um plano de negócios? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Então, não se esqueça de deixar as suas impressões nos comentários!