A tendência do Aprendizado Autêntico

Madscience

Mais importante do que a matéria ou o método de ensino, é entender quem é o aluno e como ele aprende. Cada aluno é diferente, um aluno que não gosta de esportes talvez não seja um interesse pelos problemas de física envolvendo uma bola de futebol, ao passo que é um aluno fanático pelo esporte pode ficar entusiasmado com o ensino por envolver e sua atividade favorita. Entender o que ensaios na sua experiência de vida real é o diferencial do professor para um ensino profundo que dura a vida toda.

O aprendizado autêntico, o aprendizado autêntico em inglês, é uma forma de ensino ou ensino com experiências da vida real. Um problema de física sem papel e apenas um exercício, mas um problema de física não campo de futebol é aprendido e nunca mais esquecerá. O método de ensino muda na forma que é o que é o que é mais importante para a vida.

Este método de ensino não se resume a utilizar os interesses dos alunos a favor do professor, mas também ensinar de acordo com experiências de vida que eles terão algum dia. Uma aula de inglês pode se juntar ao trabalho de um tradutor, a de matemática a um engenheiro ou a de química para um cientista. As possibilidades são muitas.

Estudos apontam que os benefícios do aprendizado autêntico são muitos, incluindo:
● Motivação
Os alunos se sentem mais motivados para aprender porque o aprendizado é tangível e moldado para incluir os seus interesses.

● Assimilação
Como o ensino envolve coisas que o aluno já conhece, o aprendizado é muito mais fácil.

● Colaboração
O ensino não é mais um monólogo do professor, mas sim projetos junto de seus alunos que aprendem um colaborador com outros.

● Produção
Com o ensino envolvendo uma produção de trabalhos tangíveis e reais, os alunos sentem que são produzidos para uma sociedade e, por conseqüência, entendem a importância do trabalho.

O aprendido autêntico e aprendido para o aluno levará para uma vida toda, entendendo um assunto importante para o ensino final e seja sempre diferente para as novas e aulas.
A Mad Science sabe como deixar seus alunos motivados para que aprendam enquanto brincam, conheça mais sobre o que podemos fazer na sua escola aqui .

Além de uma escola de princesas

Criança está vestida com um traje de astronauta

Imagine uma pessoa criativa;
Imagine uma pessoa que tem o poder de impactar milhares de pessoas;
Imagine a pessoa que pode mudar o mundo;
Imagine uma pessoa que é dona do seu destino.

Você é imaginou um político, um artista, um príncipe ou até uma princesa, é hora de ampliar seus conceitos.

Imagine uma engenheira;
Imagine uma cientista;
Imagine uma programadora;
Imagine uma jovem empreendedora;
Imagine uma mulher que desenvolve jogos, aplicativos, codificações, experiências e equações matemáticas.

Imagine uma criança ou uma jovem que aprendeu e descobriu que Ciências, Engenharia, Tecnologia e Matemática, são caminhos para uma construção de um novo futuro.

Imagine que você tenha ouvalho transformadas em centenas de litros de água potável;
Imagine manter alimentos refrigerados sem uso de energia elétrica ou baterias;
Imagine reduzir o número de usuários de trânsito.

Pode parar de imaginar, estas e outras fantásticas inovações tecnológicas são desenvolvidas por jovens de todo mundo. E com acesso fácil, barato e numa velocidade surpreendente.

Eu acredito – e muitos outros empreendedores da área de educação STEM * também em um novo modelo de educação e formação para as mulheres do século XXI impacto, ainda mais, o mundo em que vivemos.

Há uma série de estereótipos que foram estabelecidos como verdades em nossa sociedade. Estereótipos sobre papeis e funções, estereótipos de sucesso, perfis e comportamentos ideais para determinados gêneros e profissões.

Não campo da ciência e tecnologia, há o predomínio do estereótipo do “Nerd”: homem, pouco sociável, excêntrico e inábil para esportes.

A realidade tem nos nos que são estereótipos são apenas pré-conceitos. Não há correlação alguma entre este perfil e sucesso nas áreas STEM. Há apenas hábitos arraigados, há apenas “verdades” pré-concebidas e estabelecidas. Não há fatos.

É possível mudar este cenário? Sim, mas este processo, começa cedo, quando os pais decidem como vão educar e influenciar suas filhas. Mas pode ser simples:

Experimente invés de conceituar apenas uma “área rosa” da loja de brinquedos, optar por brinquedos que exercitam uma lógica eo pensamento criativo, jogue jogos de maneira que tragam experiências relacionadas ao universo da criança e estimar a busca por respostas daqueles inúmeros “Por ques” Que Ela Tanto quer saber.

Quando escolhe uma atividade extracurricular, pense diferente. Há uma série de cursos com a cara do século XXI no mercado. O que é o caso de uma conversão de codificação, jogos, tecnologia espacial, química, construção de projetos ou até ciência maluca?

Há uma série de iniciativas que dizem respeito a um processo de educação atualizado, participativo, mãos na massa, divertido e desvinculado de rótulos, de gênero, de identidade, ou de qualquer tipo de estereótipo que afaste uma criança da possibilidade de exercer sua curiosidade e Criatividade Para melhor da sociedade.
Fica o desafio para pais, mães, filhos e filhas a conhecerem estas iniciativas, um experimento, um olhar diferente para uma construção de um futuro, e incentivarem suas escolas, centros sociais e sua comunidade a participarem de formativa e está mudando o mundo. XXI.

“Temos de nos para alterar o que queremos ver nenhum mundo”.
Mahatma Gandhi

* Stem é um termo, em inglês, usado para designar o campo do conhecimento composto por ciências, tecnologia, engenharia e matemática (ciência, tecnologia, engenharia e matemática).

Texto de Dany Artel.

Reforma do ensino médio: o que muda na área de ciências da natureza

77766-reforma-do-ensino-medio-o-que-muda-na-area-de-ciencias-da-natureza

A reforma do ensino médio pegou muitos professores desprevenidos. O ensino vai mudar e muito! Por meio de uma medida provisória, o atual governo pretende reformular o currículo, a carga horária e a própria estrutura pedagógica de ensino.

Muitos educadores da área de ciências da natureza ainda estão perdidos e não entendem exatamente quais são as modificações propostas e como o ensino fica.

Pensando nisso, no post a seguir vamos mostrar o que foi flexibilizado na reforma do ensino médio, dando mais ênfase na área de ciências da natureza. Além disso, damos algumas dicas de como os professores podem já implementar as mudanças no dia a dia das salas de aula. Confira!

Quais são as principais mudanças da reforma do ensino médio?

Currículo

A principal mudança será nas disponibilidades e obrigatoriedades das matérias dos alunos. Nos dias de hoje, o aluno é obrigado a cursar 13 disciplinas fixas (sociologia, história, geografia, língua portuguesa, inglês, matemática, física, química, literatura, educação artística, biologia, educação física e filosofia). A partir da reforma, os alunos escolherão entre itinerários formativos — nome escolhido pelo Ministério da Educação para um grupo conjunto de disciplinas que guiará o ensino.

Os itinerários são divididos em 5 grandes blocos: ciências humanas, linguagens, matemática, ciências da natureza e formação técnica e profissional. Cada conjunto é composto de cinco matérias. As únicas que permanecem obrigatórias são língua portuguesa, inglês e matemática.

Nesse novo modelo, os alunos terão mais liberdade para montar a sua grade curricular. Dessa forma, os educadores têm que estar preparados para estudantes bem mais motivados e participativos, já que poderão se aprofundar nas áreas de estudo que mais gostam.

Os professores de ciências da natureza vão dar aulas mais específicas e detalhadas, ao mesmo tempo em que vão ensinar de maneira mais holística, tentando estabelecer relações entre as áreas da química, da física e da biologia.

Carga Horária

Também vai ser feita uma mudança na carga horária dos alunos. A medida provisória estipula que serão 2400 horas no total, em que 1200 horas serão dedicadas às matérias obrigatórias e as outras 1200 horas às disciplinas do itinerário escolhido pelo aluno.

Assim, haverá um aumento de horas de aula por dia (que atualmente gira em torno de quatro horas) para uma média de sete horas após a reforma.

Os professores de ciências da natureza devem se preparar para jornadas mais extensas de trabalho, com maior liberdade e tempo para dar o conteúdo, podendo se aprofundar nos conhecimentos específicos.

Legislatura

A reforma modifica a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9.394/1996) e pretende criar uma Base Nacional Comum Curricular (BNC).

O objetivo da BNC é a criação de um currículo comum para todas as escolas de educação básica do Brasil, servindo de guia para os fundamentos que vão precisar ser ensinados nos itinerários de matemática, linguagens, ciências da natureza e humanas.

Até então, a educação brasileira não tinha uma norma curricular que valesse para todos os estados. Além disso, a reforma visa melhorar os índices de avaliação do ensino brasileiro e deixar o currículo mais interessante, já que muitos alunos sentem um tédio generalizado ao ir para as escolas.

Como o professor de ciências da natureza pode aplicar as mudanças na aula?

As propostas da reforma permitem que o aluno tenha maior liberdade e exigem um pensamento crítico e autônomo. Elas demandam também professores preparados, pois as aulas tendem a ser mais focadas e aprofundadas, com estudantes engajados — já que vão estudar exatamente as disciplinas que mais os interessam.

Como a carga horária também vai aumentar, é importante que os professores abandonem metodologias que não funcionam mais, implementem novas técnicas e formas de ensino (incluindo dinâmicas em grupo), façam visitas a feiras de ciências, proponham seminários e workshops, aulas em laboratórios, ao ar livre e estudos do meio.

Os professores podem reservar alguns momentos, por exemplo, para montar maquetes de células, exemplificando ao vivo o funcionamento das organelas e do controle osmótico, aliando também conhecimentos de química. Dessa forma, as aulas ficam mais engajadas e holísticas!

Você gostou da reforma do ensino médio na área de ciências da natureza? Deixe um comentário expressando sua opinião!

Como aplicar a realidade virtual em sala de aula

76251-como-aplicar-uma-realidade-virtual-em-sala-de-aula

A realidade virtual em sala de aula é uma tendência promissora que chegou para desbancar uma metodologia tradicional no ambiente escolar. Essa ferramenta pode facilitar o processo de ensino e de aprendizagem na medida em que estimula diversas áreas cerebrais.

Além disso, como explicações dos educadores ficam mais interessantes quando conciliadas com as estratégias virtuais para o tema do estudo. A aceitação tende a ser muito boa, uma vez que uma realidade virtual já foi incorporada na vida cotidiana dos alunos.

O limite entre o interesse e a utilização de um sistema de notificação para os objectivos propostos. Caberá aos professores adaptarem sua forma de ensino para acompanhar uma efetividade da implantação.

Quer saber como implantar uma realidade virtual no cotidiano escolar? Então, acompanhe nossas dicas aqui!

Conciliar os conteúdos teóricos com práticas virtuais

A realidade virtual é um convite para entrar em um mundo interativo e com possibilidades diversas. Para os amantes da ciência é possível aprender conceitos e compreender seus fundamentos por meio de imagens em 3D, viagens corporais virtuais virtuais e liberação de energia elétrica em situações controladas.

Funcionário da seguinte maneira: os professores abordam uma parte teórica do conteúdo científico e depois elaboram aulas práticas virtuais. Assim, o conteúdo é aprendido de forma lúdica e inteligente e os alunos ficam mais engajados com uma novidade.

Ademais, como as experiências científicas são áreas cerebrais tais como hipocampo, córtex pré-frontal, cerebelo que são responsáveis pela consolidação do conteúdo. A excitabilidade proporcionada pela novidade aumenta os níveis de adrenalina e serotonina, que garantem motivação ao experimento.

Desafie os alunos no mundo das ciências

Desde os tempos mais antigos da civilização, toda a teoria deveria ser comprovada para reforçar ou refutar os conceitos. Essa situação ainda é vivenciada nos dias de hoje, porém com mais tecnologia .

Para os amantes da eletricidade e do magnetismo, por exemplo, é importante destacar o papel dos prótons e elétrons e mostrar, dentro da realidade virtual, como é que as partículas são comportam para atrair ou repelir os polos e qual é uma aplicabilidade disso.

Os educadores convidam os alunos a executarem como aulas práticas simulando ambientes virtuais em que essa vivência é controlada. Outro exemplo é a utilização da robótica e interatividade do corpo humano para mostrar a fisiologia do organismo.

Aproveite os benefícios da realidade virtual

Os softwares podem ser utilizados para facilitar a construção do plano de ensino. Para os professores de ciências, são recomendados, além das plataformas interativas, grupos de estudos sobre a integração da realidade virtual com os ensinos em biologia.

Além disso, para enriquecer os conhecimentos em sala de aula, é recomendável uma participação de especialistas por meio de videoconferência ou acompanhamento de aulas práticas de outras instituições.

A realidade virtual em sala de aula é mais uma metodologia para ser aplicada em prol da melhoria do ensino. Com técnicas adequadas, conhecimento aprofundado e didática direcionada ao tema, como aulas ficarão interessantes ea desmotivação certamente diminuirá.

Na área de ciências, é possível traçar projetos incluindo uma robótica e interatividade das plataformas disponíveis para o desafio dos alunos e comprovar como teorias aprendidas.

Nesse contexto, os professores precisam se atualizar constantemente sobre as novas metodologias que aperfeiçoam o processo de ensino-aprendizagem. Agora que você já está por dentro da aplicação da realidade virtual em sala de aula, não deixe de conferir 3 tendências pedagógicas para 2017 para continuar aprendendo!

Conheça 4 tendências em eventos corporativos

75757-conheca-4-tendencias-em-eventos-corporativos

Os eventos corporativos são uma ótima oportunidade de não ser tão fiel como uma imagem positiva de uma marca ou produto. Pensando nisso, é importante estar de olho nas tendências em eventos corporativos para cativar ainda mais os participantes.

Hoje em dia, usar e abusar das tecnologias é o que há de mais interessante. Também está em voga para eventos baseados em práticas sustentáveis. Mas não para por aí!

Quer saber mais? Acompanhe este texto e conheça 4 tendências em eventos corporativos que são inesquecíveis para seus convidados!

1. Transmissão ao vivo do evento

Já pensou em fazer uma transmissão ao vivo do seu evento usando apenas um smartphone? Isso é possível graças à ferramenta Facebook Live. Basta estar conectado em um perfil dessa rede social e começar a transmissão.

Esse tipo de recurso está entre como tendências em eventos corporativos por apenas um alto grau de engajamento por parte do público. Até porque as pessoas gostam de mostrar momentos felizes e de diversão, o que é bastante interessante para dar maior visibilidade ao seu evento.

2. Sustentabilidade ambiental nos eventos corporativos

Está cada vez mais frequente que, para fechar uma parceria com grandes organizações, elas exijam que os eventos corporativos têm o mínimo de consciência ambiental. Não se pode mas fazer eventos que consomem muitos recursos naturais ou geram grandes resíduos, em 2017 essa ideia vai se fortalecer.

Sendo assim, para este e os próximos anos, adote alternativas ecologicamente criativas para os eventos corporativos. É o caso em investir em decorações minimalistas que utilizam materiais simples e recicláveis, por exemplo. Também vale a pena realizar eventos durante o dia para aprovar uma luz solar, reduzindo o consumo de energia elétrica.

3. Experiences multissensoriais

Um evento corporativo de sucesso em 2017 tem que ser multissensorial. Isso quer dizer que é preciso tentar fazer com que os 5 sentidos dos convidados sejam contemplados.

Para conseguir isso, capriche em efeitos visuais e escolha fragrâncias inovadoras. Também não se esqueça de preparar pratos exóticos, superfícies novas para experimentar o tato e um som que ainda pouca gente conhece.

Assim, as pessoas vão passar por momentos bastante marcantes durante o seu evento, além de guardarem na memória o quanto ousado e estimulante foi aquele evento corporativo multissensorial.

4. Brindes digitais

Os eventos corporativos geralmente distribuem brindes ao convidados, que vão desde objetos mais simples personalizados até acessórios de luxo. Em 2017, porém, os brindes físicos vão ficar um pouco de lado: entram em cena os brindes digitais.

Conhecidos como digital swag sacos , ou pacote digital de brindes, em literal de tradução, eles são produtos digitais disponibilizados ao convidados. Por exemplo, utilize o produto online como um produto exclusivo para cada pessoa. Pode ser um e-book, um cupom de presente em lojas virtuais ou outro material que pode ser desfrutado com uma internet.

Essas foram algumas tendências em eventos corporativos para 2017. Além de aplicar essas novidades, também invista em formas inovadoras de agradecer a presença dos participantes . Oferecer uma lembrança regional ou mais uma opção de brinde pode encantar os convidados do seu evento corporativo.

Com tanta novidade, você vai precisar da participação dos funcionários para montar o evento, não acha? Então, como incentivar o engajamento dos seus colaboradores neste tipo de evento!